quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Cacto

Tristeza
Esta não se deixa de lado
Não se ignora

É preciso fazer-lhe companhia
Oferecer-lhe um café com pão. Com manteiga
Café com bolo
Coca-cola e cerveja
Brigadeiro e pipoca

Mais um café

É preciso tirar-lhe os sapatos, deixá-la à vontade
Ensinar-lhe onde fica o banheiro, a cozinha
Oferecer-lhe seu catálogo de filmes
A melhor cama, os melhores lençóis e travesseiros
Colocá-la a vinte graus

Dar-lhe mais uma coberta

Sua estada
Dura o tamanho do desejo de vê-la saindo pela porta dos fundos

É preciso, com a tristeza, estar em paz.
É preciso que ela repouse levemente em nossos braços
É preciso levá-la com leveza
É preciso respeitar sua presença

Não há tristeza
Sem um corpo que padece
Não há um fim
Sem o flerte com o caos
Sem o namoro com a loucura
Sem pés na insensatez

Tal como quando se mergulha na alegria.



Nenhum comentário:

Postar um comentário